Direto da Sacristia
×
×

Uso do báculo pastoral por não-bispos

Postado em 09 Março 2012por E. Marçal

Resposta à pergunta do leitor Luiz Antônio Rocha Amaral: Minha dúvida foi sanada quase por completo nesta publicação, na qual está escrita que os cardeais que não foram consagrados bispos têm direito de usar as insígnias episcopais, porém ainda tenho uma dúvida: o uso do báculo é permitido também? Pois ainda não vi imagens destes cardeais usando-o nas missas, como os purpurados Tucci, Vanhoye e Bartolucci.

* * *

A dúvida do leitor surgiu no artigo sobre a sagração episcopal de dois presbíteros criados cardeais no Consistório oficiado no último dia 18 de fevereiro. De fato, naquela publicação citamos dois documentos pontifícios: um, do Papa João XXIII, que prescreve que todos os cardeais devem possuir a dignidade episcopal, e outro, do Papa Pio X, que, para evitar distinção visível na veste dos cardeais, permitiu o uso das insígnias episcopais àqueles que, todavia, não foram constituídos como Sucessores dos Apóstolos.

Nos quatro consistórios públicos para a criação de novos cardeais, o Papa Bento XVI já concedeu a púrpura cardinalícia a 7 presbíteros, 5 dos quais pediram a dispensa de receber a sagração episcopal. Sabemos que eles já fizeram uso da mitra e da cruz peitoral, como lhes é permitido, mas por não o vermos usando o báculo pastoral, é questionado se realmente eles também tem direito à esta insígnia, visto que ela remonta à jurisdição episcopal que um bispo, residente ou titular, tem sobre a função que exerce.

Cardeal Urbano Navarrete, S.J | 1920-2010
Que foi dispensado da sagração episcopal.

Usa báculo pastoral na tomada de sua diaconia romana 

A um sacerdote que desempenha funções litúrgicas no Vaticano, perguntamos o justo questionamento e foi-nos respondido Affirmative, aos cardeais não bispos também é permitido o uso do báculo pastoral.

Tal privilégio não goza somente esses purpurados. Um exemplo recente de presbítero que tem direito ao uso das insígnias pontificais e as usa são os Ordinários dos Ordinariatos pessoais para os anglicanos convertidos ao Catolicismo:

Mons. Keith Newton, 59 anos
Uso da mitra

Ao Mons. Keith Newton, Ordinário do Ordinariato Pessoal  inglês Our Lady of Walsingham, agraciado em 17 de março do ano passado com o título de Protonotário Apostólico, foi concedido o uso de todas as insígnias episcopais e da batina violácea com forro, debruns e botões vermelhos, em razão de sua função, embora não possa receber a sagração episcopal por já ter contraído matrimônio, impedimento para o episcopado católico, tanto oriental quanto ocidental. Foi ordenado diácono no dia 13 janeiro 2011 e, dois dias depois, recebeu a ordenação presbiteral, quando foi nomeado Ordinário.

Rev.do Pe. Steenson, entre dois cardeais norte-americanos.
Uso de insígnias episcopais 

Uso do báculo durante instalação do Ordinariato norte-americano

Uso da batina de cor violácea e forro, debruns e botões vermelhos

Ao Pe. Jeffrey Steenson, Ordinário do Ordinariato Pessoal norte-americano da Chair of Saint Peter, também foi permitido o uso das vestes e insígnias episcopais. Abjurou do anglicanismo no dia 01 dezembro 2007, e embora fosse sacerdote anglicano, diante da invalidade das ordenações da Igreja Anglicana declarada na Bula Apostolicae Curae do Papa Leão XIII, recebeu a ordenação presbiteral no dia 21 fevereiro 2009. No dia 01 janeiro deste ano, ereto o primeiro Ordinariato para os anglicanos norte-americanos que regressaram para o aprisco do Apóstolo Pedro, o Pe. Steenson foi nomeado seu primeiro Ordinário.

Sugestões de artigos