'

Missa papal com os novos Cardeais

Postado em 21 fevereiro 2012 by E. Marçal

Às 9h30 do domingo, na Basílica de São Pedro no Vaticano, deu-se início à Santa Missa presidida pelo Santo Padre Bento XVI e concelebrada pelos 22 novos Cardeais criados um dia antes – entre eles, os Cardeais Ries e Grech que, apesar da idade, 91 e 86 anos respectivamente, foram sagrados bispos há pouco menos de duas semanas, e o Cardeal Becker que, não obstante não possui a dignidade episcopal, lhe foi dado o direito de usar as insígnias próprias do bispo.

Foi usado o ofício próprio “Na Cátedra de São Pedro”, que tem caráter de solenidade no Vaticano. Para tanto, o Papa permitiu que tal ofício fosse antecipado para o último domingo, em vista de que no dia 22 de fevereiro a Missa “Na Quarta-feira de Cinzas” não permitiria, como não permite, qualquer outra Missa, estando as cerimônias de início do Tempo Quaresmal abaixo somente do Tríduo Pascal, do Natal do Senhor, Epifania, Ascensão e Pentecostes, Domingos do Advento, da Quaresma e da Páscoa. O Missal antigo intitula a Quarta-feira de Cinzas como “feria privilegiata“.

Sua Em.cia Cardeal Woelki impõe-se a mitra pinha durante
a Missa Papal com os novos Cardeais
Basílica Vaticana, 19 setembro 2012 

Os novos Cardeais – somente eles concelebraram, os veteranos assistiram à Missa de veste coral – usaram a chamada mitra pinha, de tecido adamascado com relevo dessa fruta que “é um símbolo muito antigo do Império Romano, representando a união de vários povos em torno da cidade de Roma; liturgicamente, representa a união de todo o mundo na pessoa dos cardeais ao redor do Sumo Pontífice”.

Ao início, o Cardeal Fernando Filoni, primeiro na ordem de criação cardinalícia no Consistório do sábado, dirigiu ao Santo Padre palavras de filial agradecimento em seu nome e no de todos os concelebrantes promovidos ao Sacro Colégio.

Em sua homilia, Bento XVI destacou a obra do “gênio de Bernini”, o altar da Cátedra, que, “depois de percorrer a grandiosa nave central e ultrapassar o transepto, se chega à ábside, encontramo-nos perante um trono de bronze enorme, que parece suspense em voo mas na realidade está sustentado por quatro estátuas de grandes Padres da Igreja do Oriente e do Ocidente. E na janela oval, por cima do trono, resplandece a glória do Espírito Santo, envolvida por um triunfo de anjos suspensos no ar. […] Representa uma visão da essência da Igreja e, no seio dela, do magistério petrino”, este figurado na Cátedra que, segundo o Pontífice, “a cadeira de São Pedro é o trono da verdade, cuja origem está no mandato de Cristo depois da confissão em Cesareia de Filipe. A cadeira magistral renova em nós também a lembrança das seguintes palavras dirigidas pelo Senhor a Pedro no Cenáculo: ‘Eu roguei por ti, para que a tua fé não desapareça. E tu, uma vez convertido, fortalece os teus irmãos'” (Lc 22, 32). E ainda, esclareceu sobre a natureza da Igreja: “[Nela] tudo se apoia na fé: os sacramentos, a liturgia, a evangelização, a caridade. Mesmo o direito e a própria autoridade na Igreja assentam na fé. A Igreja não se auto-regula, não confere a si mesma o seu próprio ordenamento, mas recebe-o da Palavra de Deus, que escuta na fé e procura compreender e viver”. Concluiu suas palavras pedindo que a Mãe do Verbo Encarnado “acolha sob o seu manto todo o Colégio Cardinalício”.

Visita do Papa ao Seminário Romano

Postado em 18 fevereiro 2012 by E. Marçal

Com imagens do Day Life,
informações da Rádio Vaticana e do boletim da Sala de Imprensa da Santa Sé

No início da noite do último dia 15, às 18h15 locais, o Santo Padre Bento XVI procedeu à tradicional visita anual ao seu Seminário, o Seminário Maior da Diocese de Roma, em razão da Festa da patrona Nossa Senhora da Confiança, hoje (dia 18) solenemente celebrada no lugar. Estavam presentes os Seminaristas do Seminário Romano Maior, do Seminário Romano Menor, do Almo Colégio Capranica, do Colégio diocesano “Redemptoris Mater” e do Seminário de Nossa Senhora do Divino Amor.

O Papa, ao sair do automóvel, foi saudado por seu Vigário para a Cidade de Roma, Cardeal Agostino Vallini, e pelo Reitor do Seminário don Concetto Occhipinti, 48 anos, nomeado em 26 de junho passado para a função vaga pela eleição episcopal do então reitor Giovanni Tani. É de se notar que Bento XVI, até antes de ingressar na capela principal do Seminário, esteve usando uma bengala, fato que não causa tanta surpresa vindo de um homem às vésperas dos 85 anos e a quem a fadiga vem sendo amplamente prevenida, por exemplo, com o uso de uma plataforma móvel no trajeto entre a sacristia e o altar da Basílica Vaticana.

O Santo Padre discorreu sobre uma reflexão – lectio divina – baseada no texto da Carta de São Paulo aos Romanos, capítulo 12, 1-12. Dirigindo-se a eles com a afetuosa expressão de “meus seminaristas”, Bento XVI falou com palavras improvidas aos 190 alunos do diversos seminários de Roma, exortando-os, como São Paulo pediu aos destinatários de sua carta, não se conformarem com o mundo, a se manterem livres do conformismo, oferecendo o próprio corpo como sacrifício vivo, santo e agradável a Deus, para assim discernirem a Sua vontade, o que é bom e perfeito. Mas, o “não se conformar” – advertiu o Papa – não quer dizer fugir do mundo, mas antes estar livre da dominação do mundo das finanças e do poder da mídia, contra o ter mundano e a ilusão do que é a realidade construída pelos meios de comunicação. Somente assim a liberdade é reconstituída ao homem. Ao fim, pediu ao Senhor “que nos ajude a ser sermos homens livres, neste não conformismo que não é contra o mundo, mas sim o verdadeiro amor do mundo”.

Após a reflexão, Bento participou de um jantar oferecido no Seminário, ao término do qual voltou ao Vaticano.

  1. Estiveram presentes, além de vários bispos e sacerdotes, os Seminaristas do Seminário Romano Maior, do Seminário Romano Menor, do Almo Colégio Capranica, do Colégio diocesano "Redemptoris Mater" e do Seminário de Nossa Senhora do Divino Amor.
  2. "Pax vobis" - saudação inicial
  3. Bênção final
  4. Todos os anos, o Papa visita o Seminário Romano por ocasião da Festa de sua Patrona, Nossa Senhora da Confiança
  5. Ao fundo, pintura da Patrona do Seminário, invocada pela jaculatória abaixo: "Mater mea, fiducia mea"
  6. 610xO Papa não se desvencilha de ser perfil de docente, como o foi por tantos anos na Alemanha. Na foto, ladeado por seu Cardeal-vigário Agostino Vallini e pelo Reitor don Concetto Occhipinti

A cerimônia do Consistório de amanhã

Postado em 18 fevereiro 2012 by E. Marçal


Cardeal Burke recebe o barrete vermelho e a Bula de sua criação cardinalícia
20 novembro 2010

Às 10h30 de Roma (7h30 pelo horário de Brasília), o Santo Padre Bento XVI dará início à cerimônia do Consistório para a criação de novos cardeais (assista ao vivo pelo CTV). Como já foi explicado, a cerimônia deste ano tem algumas modificações concernentes às orações da Coleta e a de conclusão (do rito de 1969), à brevidade da Liturgia da Palavra (que só compreende a leitura do Evangelho sobre o pedido de Tiago e João feito a Cristo), à junção de todos os ritos (entrega do barrete e do anel cardinalícios e a concessão do Título ou da Diaconia) no mesmo dia, e o voto para as 7 causas de canonizações ao fim da cerimônia.

Com tradução portuguesa nossa (e, portanto, não oficial, mas com o texto do Evangelho segundo a edição aprovada para o Brasil), dispomos à consulta dos visitantes o livreto da cerimônia, não obstante, todos os direitos reservados ao Vaticano.

(atualização eventualmente necessária do Adobe Flash)

A visita de cortesia aos novos Cardeais (conhecida como visita “di calore“, dado o ânimo festivo da ocasião) será neste mesmo dia 18, das 16h30 às 18h30 (locais), nos lugares indicados para cada neo-Cardeal:

Cardeal Amato recebe os cumprimentos de uma religiosa
In calore” 21 novembro 2010

Sala Paulo VI  

No átrio: Cardeais João Braz de Aviz, Edwin Frederick O´Brien, George Alencherry, Lucian Mureşan, Julien Ries, Prosper Grech, O.S.A.

Na Sala: Cardeais Francesco Coccopalmerio, Thomas Christopher Collins, Dominik Duka, O.P., Willem Jacobus Eijk, Giuseppe Betori, Timothy Michael Dolan, Rainer Maria Woelki, John Tong Hon

Palácio Apostólico

Sala Régia: Cardeais Fernando Filoni, Manuel Monteiro de Castro, Giuseppe Bertello

Lapidaria: Cardeais Santos Abril y Castelló, Antonio Maria Vegliò

Sala Ducal: Cardeais Domenico Calcagno, Giuseppe Versaldi