'

Dom Filippo Santoro, arcebispo de Taranto

Postado em 21 novembro 2011 by E. Marçal

Do boletim da Sala de Imprensa da Santa Sé


Sua Excelência Dom Filippo Santoro Arcebispo eleito de Taranto (Itália) 63 anos


Agora sim, mais uma “especulação” do vaticanista Andrea Tornielli aconteceu. Desde o início deste mês falava-se no que hoje foi confirmado: o Bispo de Petrópolis (Rio de Janeiro, S.E.R. Dom Filippo Santoro, foi hoje nomeado pelo Santo Padre Bento XVI como Arcebispo de Taranto (Itália). Fato raro, mas possível: um estrangeiro, bispo de uma diocese de um país que não é o seu, é nomeado para uma diocese no seu país natal. Aqui Dom Santoro nunca poderia ser arcebispo, haja vista para o costume (acreditamos, não confirmado por nenhuma norma jurídica) brasileiro de não ocupar as cátedras arquiepiscopais com bispos sem sangue genuinamente brasileiro.

A nomeação aconteceu depois que o Papa aceitou a renúncia ao governo pastoral da dita Arquidiocese apresentada por S.E.R. Mons. Benigno Luigi Papa, membro professo da Ordem dos Franciscanos Menores, em conformidade com o cânon 401 § 1 do Código de Direito Canônico.

Dom Santoro nasceu em Carbonara, província de Bari e arquidiocese de Bari-Bitonto, em 12 julho 1948. Completou os estudos filosóficos na Università Cattolica del Sacro Cuore de Milão, obtendo o Doutorado em Filosofia. Em Roma, conseguiu a Láurea em Teologia Dogmática, na Pontificia Università Gregoriana, como aluno do Almo Collegio Capranica (n.d.e. um dos seminários romanos)

Foi ordenado sacerdote em 20 maio 1972 para a arquidiocese de Bari-Bitonto.

Depois da ordenação sacerdotal, entre outros cargos, desempenhou os seguintes: sacerdote fidei donum na arquidiocese de São Sebastião do Rio de Janeiro (Brasil) de 1984 a 1996; Reponsável do “Comunhão e Libertação” no Rio de Janeiro de 1984 a 1988 e de 1988 a 1996, em todo o Brasil e na América Latina. Em 1992, participou como teólogo da IV Conferência Geral do Episcopado Latinoamericano em Santo Domingo.

Eleito à sede titular de Tuscamia e nomeado Bispo Auxiliar da Arquidiocese de São Sebastião do Rio de Janeiro em 10 abril 1996, recebeu a sagração episcopal em 29 junho sucessivo do Cardeal Eugênio Sales.

Em 12 maio 1994 foi eleito Bispo da diocese de Petrópolis. Na Conferência Episcopal dos Bispos do Brasil é Membro do Conselho Permanente e da Comissão Episcopal para a Doutrina da Fé. Também é Grão-chanceler da Universidade Católica de Petrópolis.

É autor de diversas publicações de caráter teológico e filosófico. A sua Arquidiocese, ao sul da Itália, contava, em 2004, com quase 406 mil batizados, divididos em 86 paróquias em 1.056 km². De sua catedral é titular São Cataldo, segundo bispo da diocese fundada no século VI. A concatedral é dedicada à Grande Mãe de Deus. Há 223 sacerdotes, dos quais 143 são seculares e 80 regulares; 90 religiosos e 266 freiras e 15 diáconos permanentes.

O Arcebispo eleito de Taranto exerceu ainda maior solicitude pastoral quando sua diocese foi atingida por graves desastres fluviais no início deste ano. Demonstrou grande atenção às vítimas e dirigiu apoio material e, sobretudo, espiritual a eles. Há poucos meses sagrou bispo a um sacerdote de seu clero que foi eleito Auxilar de São Salvador da Bahia, Dom Gilson.

 Rezemos ao Senhor da Messe que abençoe largamente o ministério episcopal de Dom Santoro, agora mais exigido por essa nomeação para um ofício maior. Que a cada dia Sua Excelência seja mais fiel a Deus e à sua Igreja.

 

Categorias | Sem categoria

Novo arcipreste de Santa Maria Maggiore

Postado em 21 novembro 2011 by E. Marçal



Do boletim da Sala de Imprensa da Santa Sé



Sua Excelência Mons. Abril y Castelló
Arcipreste eleito da Basílica Liberiana
76 anos

O Santo Padre Bento XVI nomeou Arcipreste da Basílica Papal de Santa Maria Maggiore em Roma S.E.R. Mons. Santos Abril y Castelló, Arcebispo titular de Tamada, Vice-camerlengo da Santa Igreja Romana.

Sua Eminência Bernard Cardeal Law
do título presbiteral de Santa Susanna
Arcebispo emérito de Boston
Arcipreste emérito de Santa Maria Maggiore
80 anos (recém completados)
Pelo visto a Santa Sé mal esperou aparecer a oportunidade de demiti-lo

O novo Arcipreste substitui o norte-americano Cardeal Bernard Low, que ocupava o cargo desde 2004, quando o Beato João Paulo II o trouxe para Roma afim de poupá-lo, encerrando-o na Basílica Liberiana, dos protestos e da polêmica sobre suas atitudes, insuficientes talvez, com as quais lidou com os casos de pedofilia na complicada Arquidiocese de Boston, que hoje tem suas rédeas puxadas pelo eficiente Cardeal Sean Patrick O´Malley, da Ordem dos Capuchinhos.

Ele tem uma ampla experiência de mais de 20 anos em missões diplomáticas como Núncio Apostólico que já foi junto à Bolívia, Iugoslávia, Argentina e Eslovênia, entre outros.

O Mons. Abril y Castelló, que é certo que futuramente ganhará um barrete vermelho, foi o escolhido pelo Papa para ser Seu comissário “ad actum” como bispo de Pula (Croácia) e assim assinar o acordo entre a Diocese e os beneditinos italianos que reclamavam um mosteiro seu naquela circunscrição. A diocese não estava vacante, mas o bispo de então (que depois da assinatura do acordo voltou ao cargo) se recusava a obedecer sabendo que deveria pagar uma rica indenização aos monges por ter vendido terras do dito mosteiro. Depois o novo Arcipreste perdeu o cargo de bispo “momentâneo” e voltou a assinar “apenas” como Vice-camerlengo da Igreja (desde janeiro deste ano), o número 3 na Igreja, até que hoje sua sala de trabalho mudará de endereço.

Patriarcal Basílica de Santa Maria Maggiore
primeira igreja no Ocidente dedicada à Mãe de Deus
nela está sepultado o Papa Pio V

Nossas orações por seu ministério.

Categorias | Sem categoria

Dom Filippo Santoro, arcebispo de Taranto

Postado em 21 novembro 2011 by E. Marçal

Do boletim da Sala de Imprensa da Santa Sé



Sua Excelência Dom Filippo Santoro
Arcebispo eleito de Taranto (Itália)
63 anos


Agora sim, mais uma “especulação” do vaticanista Andrea Tornielli aconteceu. Desde o início deste mês falava-se no que hoje foi confirmado: o Bispo de Petrópolis (Rio de Janeiro, S.E.R. Dom Filippo Santoro, foi hoje nomeado pelo Santo Padre Bento XVI como Arcebispo de Taranto (Itália). Fato raro, mas possível: um estrangeiro, bispo de uma diocese de um país que não é o seu, é nomeado para uma diocese no seu país natal. Aqui Dom Santoro nunca poderia ser arcebispo, haja vista para o costume (acreditamos, não confirmado por nenhuma norma jurídica) brasileiro de não ocupar as cátedras arquiepiscopais com bispos sem sangue genuinamente brasileiro.

A nomeação aconteceu depois que o Papa aceitou a renúncia ao governo pastoral da dita Arquidiocese apresentada por S.E.R. Mons. Benigno Luigi Papa, membro professo da Ordem dos Franciscanos Menores, em conformidade com o cânon 401 § 1 do Código de Direito Canônico.

Dom Santoro nasceu em Carbonara, província de Bari e arquidiocese de Bari-Bitonto, em 12 julho 1948. Completou os estudos filosóficos na Università Cattolica del Sacro Cuore de Milão, obtendo o Doutorado em Filosofia. Em Roma, conseguiu a Láurea em Teologia Dogmática, na Pontificia Università Gregoriana, como aluno do Almo Collegio Capranica (n.d.e. um dos seminários romanos)

Foi ordenado sacerdote em 20 maio 1972 para a arquidiocese de Bari-Bitonto.

Depois da ordenação sacerdotal, entre outros cargos, desempenhou os seguintes: sacerdote fidei donum na arquidiocese de São Sebastião do Rio de Janeiro (Brasil) de 1984 a 1996; Reponsável do “Comunhão e Libertação” no Rio de Janeiro de 1984 a 1988 e de 1988 a 1996, em todo o Brasil e na América Latina. Em 1992, participou como teólogo da IV Conferência Geral do Episcopado Latinoamericano em Santo Domingo.

Eleito à sede titular de Tuscamia e nomeado Bispo Auxiliar da Arquidiocese de São Sebastião do Rio de Janeiro em 10 abril 1996, recebeu a sagração episcopal em 29 junho sucessivo do Cardeal Eugênio Sales.

Em 12 maio 1994 foi eleito Bispo da diocese de Petrópolis.

Na Conferência Episcopal dos Bispos do Brasil é Membro do Conselho Permanente e da Comissão Episcopal para a Doutrina da Fé. Também é Grão-chanceler da Universidade Católica de Petrópolis.

É autor de diversas publicações de caráter teológico e filosófico.

A sua Arquidiocese, ao sul da Itália, contava, em 2004, com quase 406 mil batizados, divididos em 86 paróquias em 1.056 km². De sua catedral é titular São Cataldo, segundo bispo da diocese fundada no século VI. A concatedral é dedicada à Grande Mãe de Deus. Há 223 sacerdotes, dos quais 143 são seculares e 80 regulares; 90 religiosos e 266 freiras e 15 diáconos permanentes.

O Arcebispo eleito de Taranto exerceu ainda maior solicitude pastoral quando sua diocese foi atingida por graves desastres fluviais no início deste ano. Demonstrou grande atenção às vítimas e dirigiu apoio material e, sobretudo, espiritual a eles. Há poucos meses sagrou bispo a um sacerdote de seu clero que foi eleito Auxilar de São Salvador da Bahia, Dom Gilson 

Rezemos ao Senhor da Messe que abençoe largamente o ministério episcopal de Dom Santoro, agora mais exigido por essa nomeação para um ofício maior. Que a cada dia Sua Excelência seja mais fiel a Deus e à sua Igreja.