'

Categorias | Sem categoria

Promoção de 6 cardeais à Ordem dos Cardeais-presbíteros

Postado em 22 fevereiro 2011 by E. Marçal




A Optatio deu-se durante o Consistório Ordinário Público
para a canonização de beatos


Na manhã de ontem, aconteceu na Sala do Consistório do Palácio Apostólico Vaticano, durante a celebração da Hora Sexta do Ofício Divino, a reunião do Santo Padre Bento XVI com os cardeais e membros da Sagrada Congregação para a Causa dos Santos para a postulação da canonização de alguns beatos:


Guido Maria Conforti (1865-1931), Arcebispo-Bispo de Parma, fundador da Pia Sociedade de São Francisco Xavier para as Missões Exteriores (Missionários Xaverianos).
Por 2 anos foi Arcebispo de Ravena, quando renunciou em 1904. No mês seguinte, foi nomeado Arcebispo Coadjutor de Parma, sua diocese, com a sede arquiepiscopal titular de Stauropolis, onde sucedeu em 1917. Ao tomar posse da diocese (sua diocese natal), permaneceu com o título de Arcebispo, dirigido à sua pessoa, como ainda hoje é possível observar alguns casos semelhantes.


Luigi Guanella (1842-1915), sacerdote, fundador da Congregação dos Servos da Caridade e do Instituto das Filhas de Nossa Senhora da Providência.


Bonifacia Rodríguez de Castro (1837-1905), virgem, fundadora da Congregação das Servas de São José.

Durante o Consistório, o Papa decretou que os Beatos supracitados fossem inscritos no Álbum dos Santos no domingo, 23 outubro 2011.

Após, foi dado executada a Optatio de alguns cardeais para a Ordem cardinalícia dos Presbíteros. O Direito confere aos cardeais-diáconos a opção de, após um decênio de sua criação cardinalícia para uma diaconia, solicitarem sua promoção a um título presbiteral. E isso aconteceu a seis cardeais, mediante pedido próprio:



Cardeal Agostino Cacciavillan, 84 anos
Presidente emérito da Administração do Patrimônia da Sé Apostólica
da Diaconia dos Ss. Angeli Custodi a Città Giardino,
esta elevada pro hac vice a título presbiteral
e concedida ao mesmo Cardeal



Cardeal Sergio Sebastiani, 79 anos
Presidente emérito da
Prefeitura para os Assuntos Econômicos da Santa Sé
da Diaconia de S. Eustachio
elevada pro hac vice a título presbiteral
e concedida ao mesmo Cardeal



Cardeal Zenon Grocholewski, 71 anos
Prefeito da Congregação para a Educação Católica
(para os Seminários e Institutos de Estudo)
da Diaconia de S. Nicola in Carcere,

elevada pro hac vice a título presbiteral
e concedida ao mesmo Cardeal



Cardeal Jorge María Mejía, 88 anos
Arquivista emérito dos Arquivos Secretos do Vaticano
da Diaconia de S. Girolamo della Carità,

elevada pro hac vice a título presbiteral
e concedida ao mesmo Cardeal



Cardeal Walter Kasper, 77 anos
Presidente emérito do Pontifício Conselho
para a Promoção da Unidade dos Cristãos
da Diaconia de Ognissanti in Via Appia Nuova,

elevada pro hac vice a título presbiteral
e concedida ao mesmo Cardeal



Cardeal Roberto Tucci, 79 anos,
sacerdote professo da Sociedade de Jesus
da Diaconia de S. Ignazio di Loyola a Campo Marzio,

elevada pro hac vice a título presbiteral
e concedida ao mesmo Cardeal


Cardeal Jean-Louis Pierre Tauran
Presidente do Pontifício Conselho para o Diálogo Interreligioso
Confirmado novo Protodiácono da Santa Igreja Romana

Na sequência da opção do Em.mo Cardeal Agostino Cacciavillan para a Ordem dos Presbíteros, o cargo de Protodiácono da Santa Igreja Romana (que anuncia ao mundo o novo papa) é conferido ao Cardeal Jean-Louis Tauran, diácono de S. Apollinare alle Terme Neroniane-Alessandrine, confirmado nesse ofício pelo Santo Padre.

Na ausência do Cardeal Walter Kasper, seu pedido foi apresentado pelo Secretário do Colégio de Cardeais, o Arcebispo Manuel Monteiro de Castro.


Pro hac vice é um termo jurídico, adotado pela Igreja para designar algo que tem uma nova característica que não possuiu antes por decisão contrária, mas agora foi autorizado a ser atualizado a um novo status.

Categorias | Sem categoria

Penas canônicas contra um sacerdote e uma religiosa

Postado em 20 fevereiro 2011 by E. Marçal



Cardeal Levada declara sacerdote chileno culpado por abusos sexuais
Chile

Mons. Ricardo Ezzati
Arcebispo de Santiago do Chile

O novo arcebispo de Santiago do Chile, Mons. Ricardo Ezzati, informou a decisão da Santa Sé sobre o Rev.do Pe. Fernando Karadima, declarado culpado por abuso sexual.


Rev.do Pe. Fernando Karadima
condenado pela Doutrina da Fé à vida de oração e penitência

Após a coleta de denúncias de testemunhas sobre o comportamento do dito sacerdote sobre assédio sexual a menores de idade, somada a outros testemunhos e antecedentes, o Cardeal Errázuriz Ossa, arcebispo emérito de Santiago do Chile, há sete meses encaminhou os documentos à Sagrada Congregação para a Doutrina da Fé. Após apurada deliberação, com parecer do Santo Padre, o Cardeal Levada determinou que, considerando a idade o estado de saúde do reverendo Karadima, impõs-se ao culpado uma vida de oração e penitência. Também, em reparação às vítimas de seus abusos, foi avaliado um lugar de sua residência. De igual modo, como pena expiatória, o sacerdote está perpetuamente proibido do exercício público de qualquer ato de ministério sacerdotal, em particular, da confissão e da direção espiritual de qualquer pessoa. O não-cumprimento de tais medidas não descarta a demissão do estado clerical.

Segundo o Arcebispo Ezzati, que pessoalmente comunicou ao sacerdote a decisão da Doutrina da fé, Karadima se considera inocente e que, como prevê o documento do dicastério, está preparando a sua defesa. O mesmo arcebispo acrescentou, inclusive, que Karadima não poderá se reunir com os membros da paróquia que administrava, com os sacerdotes da União Sacerdotal do Sagrado Coração – fundada por ele – e com pessoas que tenha dirigido espiritualmente, mas isso não quer dizer que o padre esteja preso e não possa se reunir com outras pessoas.

O Arcebispo de Santiago ordenará uma visita canônica à União Sacerdotal do Sagrado Coração – que conta entre seus membros até mesmo bispos chilenos – para verificar a eclesialidade dos processos de formação dos seus membros e a transparência da administração econômica.





Religiosa é expulsa de convento por atitudes na internet
Espanha

Maria Jesús Galán
que sofreu exclaustração da Ordem Dominicana

Uma religiosa espanhola de 54 anos, dos quais 35 anos de vida religiosa, foi exclaustrada do Convento de Santo Domingo o Real, em Toledo, pelo descontentamento [dizem pessoas próximas à religiosa] da hierarquia eclesiástica com uma religiosa que adquiriu cada vez mais notoriedade pública nos meios de comunicação.

O arcebispado de Toledo não quis opinar sobre o assunto, afirmando que se trata de assuntos internos da Ordem dos Dominicanos.

Em maio de 2010, a Ir. María Jesús Galán recebeu a Placa ao Mérito Regional do governo de Castela-Mancha por seu “trabalho de catalogação de documentos e livros da biblioteca conventual, a introdução de tecnologias em um ambiente tradicional e a contribuição para a difusão pela rede”. Ela mantém um perfil na rede de relacionamento social Facebook.

Agora ela está procurando trabalho e talvez possa realizar um de seus sonhos: viajar a Londres e a Nova York.

______________________
Comentário do blog: Se fosse por notoriedade pública em meios de comunicação, a norte-americana Madre Angélica já teria sofrido alguma punição, desde que em 1981 fundou o atual maior canal de televisão católico do mundo, com alcance a 80 milhões de lares em 110 países. Há algo mais que causou tal decisão contra a dominicana espanhola.

Categorias | Sem categoria

Novidade no dia da beatificação de João Paulo II

Postado em 19 fevereiro 2011 by E. Marçal



Corpo do Pontífice será exposto à veneração pública


O Arcebispo Piero Marini e Mons. Stanislaw Dziwisz,
então Mestre das Celebrações Pontifícias
e secretário particular de João Paulo, respectivamente,
executam o tradicional costume de envolver com
um pano de seda branca o rosto do Pontífice falecido

Diferentemente do que foi por nós anunciado há alguns dias, a Santa Sé afirmou que o corpo de João Paulo II poderá ser venerado no dia da cerimônia de beatificação do antecessor de Bento XVI, dia 1º maio, diante do Altar da Confissão. Segundo o Pe. Federico Lombardi, as portas da Basílica Vaticana permanecerão abertas enquanto durar o fluxo de fiéis que hão de querer venerar o corpo do Pontífice. Após, de forma privada, o corpo será trasladado para a Capela de São Sebastião, onde será depositado.


Cardeal Agostino Vallini,
Vigário de Sua Santidade para a cidade de Roma
Cardeal-presbítero de S. Pier Damiani ai Monti di San Paolo
Arcipreste da Arquibasílica de São João de Latrão
Grão-chanceler da Pontificia Università Lateranense

Antes, no dia 20 de abril, das 20h às 22h30, a diocese de Roma oficiará uma vigília que será presidida pelo Vigário de Sua Santidade para a Cidade de Roma, o cardeal Agostino Vallini. Bento XVI participará da vigília mediante a transmissão de um vídeo em telas que estarão distribuídas pela cidade.

Também foi reiterada a informação de que não será cobrado valor algum para o ingresso no local da beatificação, pois, nem mesmo serão impressos bilhetes, e quando há estes, não são vendidos e não o podem ser nem por pessoa jurídica ou física.