'

Categorias | Hierarquia, Papa, Santo do dia

Instaurare omnia in Christo

Postado em 21 agosto 2010 by E. Marçal

Do seminarista Carlos Donato, da Itália

Restaurar todas as coisas em Cristo

Celebramos hoje o único pontífice canonizado no século passado, e último no milênio que atravessamos. Trata-se de São Pio X, o pobre pároco de Campanha que iluminou a Igreja com seus sábios e santos exemplos. Giovanni Sarto, como se chamava no século, nasceu em um pequeno vilarejo da região do Vêneto, ao norte da Itália, de uma família pobre, mas rica de fé e de zelo pelo santo Nome de Deus.

Pio X quando jovem

O jovem Sarto logo apresentou sinais de vocação, mesmo diante das inúmeras dificuldades a superar. Percorria quilômetros a pé, com os sapatos feitos de borracha de pneu nos ombros, até chegar a escola mais próxima – onde colocava os sapatos, pois era único par que havia e deveria durar todo o tempo da escola. Terminado o liceu clássico, Giovanni dirige-se para o seminário diocesano, onde se distingue pela sua mente prodigiosa e seu desenvolvimento nas línguas clássicas: latim e grego. Terminado o curso a Filosofia, recebeu a sacra tonsura e as ordens menores até chegar a elevar a divina Vítima sobre os altares.

Cálice e patena usados por Pio X

Por nove anos foi diretor espiritual do seminário, por mais nove, pároco e cônego do capítulo da Catedral, até que foi eleito Bispo de Mantova, um belíssima cidade medieval na Lombardia, terra de São Luiz de Gonzaga e tantos outros santos. Ali construiu o seminário diocesano e reformou a catedral diocesana de São Pedro. Após nove anos em Mantova, Sua Santidade Leão XIII o fez Cardeal-patriarca de Veneza, onde permaneceu por nove anos. Com a morte de Papa Leão XIII, os Padres Cardeais, impulsionados pelo Espírito Santo, escolheram o jovem Patriarca de Veneza como sucessor do Apóstolo Pedro. O Cardeal Sarto, escolheu como nome Pio X.

“Quam singularis amori Christi”

O reinado do Papa São Pio X, foi marcado pela vasta experiência pastoral. Durante o seu pontificado promoveu a reforma litúrgica do Graduale romano, do Missal, e do antifonário. Preocupado com a formação das suas ovelhas, fez editar o chamado Catecismo Maior de São Pio X onde, por perguntas e respectivas respostas, instrui os fiéis com a sã doutrina. Promoveu ainda o movimento bíblico, com a nova tradução da Vulgata. Defendeu a fé contra as heresias modernistas, instituindo um juramento da parte dos clérigos e professores católicos contra os erros das falsas doutrinas modernistas, juramento este que vigorou até a reforma do Código de Direito Canônico em 1983. O Santo Pontífice ainda recomendou a comunhão freqüente e diária aos féis bem como permitiu as crianças, por meio da bula “Quam singulari Christi amori” de aproximarem-se da mesa do banquete eucarístico. Iniciou também a reforma do Código de Direito Canônico, chamado “Codex pio-beneditino” de 1917.

Brasão pontifício de Pio X

Seu lema de pontificado era “Instaurare omnia In Christo”, e o viveu de forma exemplar, sendo um verdadeiro restaurador e defensor da fé divina e católica. Criou dioceses e elevou à arquidiocese muitas circunscrições eclesiásticas em nosso país. Proclamou nossa Senhora do Carmo padroeira do Recife, e elevou a diocese de Olinda a Arquidiocese. Concedeu a coroação canônica a imagem de Nossa Senhora da Conceição Aparecida e criou a diocese de Natal do Regional Nordeste II da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB).

Dia da canonização de Pio X

Procissão inicial da canonização
Nota-se o Papa Pio XII no meio da multidão

Pedido da canonização feito ao Papa no início da cerimônia

Veneração das relíquias do novo santo

Morreu aos 21 de agosto de 1914 quando a Europa respirava os horrores da Primeira Guerra Mundial. Foi canonizado em 1950 pelo Venerável Papa Pio XII, em cerimônia concorrida por inúmeros fiéis que transformaram a Praça de São Pedro em um mar de gente. Foi sepultado nas Grutas Vaticanas, tendo como legenda em seu túmulo: “Giuseppe Sarto, viveu e morreu pobre. Após a canonização, seu corpo encontrado incorrupto, foi levado ao altar da Apresentação de Maria, à esquerda da entrada da Basílica de São Pedro no Vaticano.