Direto da Sacristia
×
×

“A Crisma no rito antigo é uma idiotice!”

Postado em 28 Maio 2011por E. Marçal

Da agência Kath.net, com tradução de Moisés Sbardelotto do IHU


Em.mo Cardeal Karl Lehmann
Bispo de Mainz
do título presbiteral de S. Leone I

Os dizeres acima são do Cardeal de Mainz, Alemanha, ex-presidente da Conferência Episcopal Alemã.

No nº 12 da Instrução Universae Ecclesiae, o Santo Padre pede aos bispos que governam dioceses que garantam o bem comum em matéria litúrgica. Em meu reduzido e inexperiente conhecimento como seminarista, acredito que o ardor pastoral hoje tão em alta (e o problema não está nisso, mas sim quando o distorcem) compreende a preocupação em todos os aspectos pelo rebanho que lhe é confiado; ou, para aqueles que, diferentemente de mim, acreditam que o termo “rebanho” é ultrapassado: compreende a preocupação em todos os aspectos pelas pessoas que lhes são confiadas. Portanto, se um fiel pede algo de caráter religioso que em nada contradiga a Igreja e que sirva a ele como alimento e crescimento da fé, não vejo motivo para dizer-lhe não. Só que entre o desejo do fiel e a realização de seu pedido encontra-se as convicções do pastor que lhe ouve. Eis o problema. E vemos agora fiéis de fé sincera e consolidado amor à Igreja estigmatizados e padecentes por apenas verem na tradição litúrgica antiga a alegria de sua vida espiritual.

O Cardeal Karl Lehmann disse aquela infeliz frase quando lhe foi perguntado se a cerimônia antiga da Crisma seria feita em sua milenar diocese, como prevê o nº 29 da Universae Ecclesiae. Mesmo tendo o Summorum Pontificum dado carta branca aos sacerdotes para a celebração do rito antigo e a Instrução, expandido ainda mais essa faculdade, o ministro ordinário da celebração da Crisma é o Bispo (cânon 882 do Direito Canônico). O Cardeal Lehmann não quis refutar a faculdade universal e ordinária concedida pelo Papa Bento, ciente de que em sua diocese “há cinco ou seis lugares para celebrar no ‘rito’ extraordinário” e, portanto, é de se deduzir que os fiéis se contentem com esses “lugares”, mesmo que dependa do Purpurado a administração do sacramento da Crisma e, por conseguinte, ordinariamente, ele a presida. Todavia, quanto a isso: “Eu não vou fazer isso. Vocês terão que se dirigir a um outro endereço”.

Vossa Eminência não seria diminuído pronunciando no altar do Senhor as seculares fórmulas do rito antigo. Este gesto, além de demonstrar profundo e incondicional amor à Igreja e convicção de que ela é mais sábia do que Vossa Eminência, iria ser prova de que está disposto a atender os mais puros desejos de seus diocesanos.

Rezemos pelo Eminentíssimo Cardeal.

Abaixo, algumas fotos da cerimônia de Crisma, no dia 22 maio 2011, de alguns católicos assistidos pelos sacerdotes da Fraternidade Sacerdotal São Pedro, todos em plena comunhão com a Igreja. A missa, presidida por um presbítero da São Pedro com a assistência de S.E.R. Mons. Pierre Farine, Bispo Auxiliar e Administrador Apostólico da Diocese de Genebra-Lausanne-Friburgo, que conferiu o sacramento da Crisma.




Sugestões de artigos