Direto da Sacristia
×
×

Celebração da Paixão do Senhor no Vaticano

Postado em 22 Abril 2011por E. Marçal

Nesta Sexta-feira Santa, o Santo Padre Bento XVI presidirá a Celebração da Paixão do Senhor, às 17h, na Basílica Vaticana. Como já noticiamos, a cerimônia será transmitida também, ao vivo, pela Tv Canção Nova, em sinal aberto e na internet.





Sabemos que excepcionalmente hoje a Igreja priva-se da celebração da Santa Missa. Há exceção nessa regra litúrgica, se o reduzido número de partículas consagradas ou comprometa a comunhão dos fiéis na Celebração da Paixão do Senhor ou impeça a administração do sagrado viático. Em algum desses casos, os livros litúrgicos preveem um ofício próprio da Santa Missa na Sexta-feira Santa para a consagração das Sagradas Espécies em número suficiente. Além da singularidade da cerimônia de hoje, há os ritos nela oficiados: a prostração do Celebrante, a desvelação e a adoração do Santo Lenho, a deposição da casula quando o Celebrante caminha para a adoração da Cruz, a Oração Universal por todas as necessidades de nossos dias feita como que “aos pés do Lenho”, a comunhão dos Pré-santificados (partículas consagradas na missa anterior), a oração sobre o povo – substituindo a tradicional cruz traçada sobre os presente…
Mesmo com todas essas particularidades que contribuem para o exercício da fé na atualização do Sacrifício do Calvário, a liturgia papal encerra em si outros detalhes que enriquecem ainda mais o cerimônia.




Neste dia, vemos o Santo Padre despojado de algumas insígnias próprias para a celebração da Santa Missa: o Anel do Pescador não é usado, assim como a férula (báculo) e o pálio pontifícios. O Romano Pontífice também não faz uso da dalmática pontifical. Ele permanece endossando a alva, o cíngulo (costumeiramente de cor vermelha), a cruz peitoral com o cordão cor de ouro, a casula (romana, desde a época de Guido Marini) e mitra simples. Ademais, é comum o Santo Padre delegar a pregação da cerimônia ao Pregador da Casa Pontifícia, hoje o Rev.do Pe. Raniero Cantalamessa, franciscano da Ordem dos Frades Capuchinhos; dois cardeais da Ordem dos Diáconos (que também são bispos) estão paramentados com dalmáticas, e assim assistem ao Pontífice. Os demais cardeais presentes na Basílica permanecem na assembleia, normalmente endossando a veste coral que lhes é própria. A edição típica do ano de 2002 do Missal Romano retomou o antigo costume do Celebrante depor a casula quando for prestar sua adoração à Cruz. Somado a isto, o Sumo Pontífice costuma também depor os calçados, permanecendo apenas com as meias, e dirige-se ao presbitério, onde está a Cruz e lá A adora.


Rev.do Pe. Raniero Cantalamessa, OFMCap.
Pregador da Casa Pontifícia

Quando a alta noite já estiver sobre o céu de Roma, às 21h15 (locais) mais uma vez o Sucessor de Pedro irá se deslocar ao lugar onde incontáveis cristãos professaram com suas vidas a fé em Cristo – o Coliseu romano. Lá, seguindo uma tradição inaugurada pelo Papa Paulo VI, com os fiéis recitará piedosamente a Via Crucis. Neste ano, as meditações de cada umas das 14 estações foram escritas pela Rev.da Madre Maria Rita Piccione, Presidente da Federação dos Mosteiros Agostinianos da Itália, que na verdade não é a primeira mulher a fazer isto, pois em 1993 o Venerável Papa João Paulo II confiou as meditações à Abadessa Mater Ecclesiae de Isola San Giulio, entre outros exemplos.

O piedoso exercício da Via Sacra será transmitido ao vivo pela EWTN.

Sugestões de artigos